Sobre o Seminário BEs

E vocês?

Também eu me sinto pequenina perante a Web 2.0…

As minhas impressões sobre o Seminário da passada segunda-feira? Bem, excluindo o exagero de “flashes” da máquina fotográfica que por lá passeava, gostei bastante porque fiquei a conhecer um pouco do que por aí se faz em matéria de BEs.

Fiquei agradavelmente surpreendida com o notável trabalho do Projecto “Todos Juntos Podemos Ler” com alunos NEE no Agrupamento de Mafra e aprendi imenso com o projecto “Ideias com Mérito” da escola de Sintra, nomeadamente os conceitos de “narrativa transmédia” e “fanfiction”, que desconhecia. Achei muito louvável a iniciativa da escola de Queluz com a introdução de tecnologia móvel para o estímulo à leitura e com a exploração de e-books na sala de aula. Devo confessar que fiquei com inveja… Gostaria tanto de trabalhar assim com os meus alunos, cada qual no seu ipad! E aquela ideia de os alunos mais crescidos oferecerem o seu tempo como monitores é também extraordinária nos tempos que correm.

Parabéns a todos os colegas pelo seu trabalho!

Anúncios

2 thoughts on “Sobre o Seminário BEs

  1. Bom comentário. Para mais ideias sobre alunos monitores: por exemplo na Polónia, em escolas secundárias, existe há anos um projeto (financiado pela UE) que apoia a formação e acompanhamento de alunos mais velhos como tutores/monitores de alunos mais novos, em tempos nao letivos, com um minicurriculum de literacia, desenvolvido em bibliotecas escolares. Cada aluno mais velho acompanha um certo número de mais novos, em laboratório informático na biblioteca, na experimentação de ferramentas de pesquisa, selecção, avaliação, edição, organizaçao, transformação, produção/criação e/ou apresentação de conteúdos digitais. fartam-se de ler, escrever, desenhar, gravar som e imagem, pensar e comunicar. E gostam. Há uns meses, fui convidada para um pequeno almoço via skype com um desses grupos (15-18 anos), enquadrados por dois professores, numa biblioteca escolar, e passei uma hora divertida com eles, entre as 7 e as 8 da manhã num fim de semana, conversando sobre internet, ensino, literatura e coisas que nos divertem. Há futuro.
    Claro que estas coisas dão trabalho e requerem algum saber, capacidade de gestão de tempo, recursos e pessoas, capacidades diplomáticas e técnicas (neste caso havia um professor de artes/tecnologias e um de informática: não há professor bibliotecário). No nosso caso, as assistentes operacionais são por vezes preciosas no enquadramento dos alunos monitores, e h+a alguns saberes que fomos aprendendo e podemos partilhar.
    Um blog duma escola onde hpa a,unos monitores: Galopinices http://galopinices.blogspot.pt/
    Passa por lá.

    • Obrigada! Sim. Dá trabalho e é preciso empenho, dedicação. Coisa rara nos alunos de hoje. Têm sempre muitos “afazeres” e queixam-se muito da falta de tempo…
      Lembro-me que tomei nota do blogue “galopinices” da escola de Queluz – a tal dos ipads – mas ainda não percorri com atenção. Vai ser este f.d.s.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s